6 dias no Marrocos

6 dias no Marrocos

Dicas para uma viagem inesquecível pelo Marrocos: conhecendo Maraquexe, Ouarzazate, Merzouga, Ifrane e Fes.

Muitas pessoas perguntaram: porque escolheram o Marrocos? Pesquisamos vários destinos, mas estamos numa vibe de conhecer lugares e coisas diferentes e não me arrependi nem um pouco de ter escolhido esse país exótico e fascinante.

dicas marrocos saara
Saara

Como chegar ao Marrocos:

Saímos de Recife em um voo direto para Madri (pela Air Europa e resumidamente a viagem foi tranquila, durou 8h e a cia aérea está aprovada). Em Madri pegamos um voo para Marrakesh, pela Ryanair e durou aproximadamente 2h.

Chegando em Marraquexe:

O aeroporto é muito lindo e moderno. A segurança lá é bem rígida, tudo seu é revistado nos mínimos detalhes, inclusive não pode nem entrar com drone no país. O aeroporto fica vazio, só pode entrar quem realmente vai pegar voo. As pessoas que estão esperando os passageiros, ficam na parte de fora. Como havíamos contratado um guia, ele estava já nos esperando.

Contratando uma agência de turismo marroquina:

Pesquisamos bastante como seria nosso roteiro pelo Marrocos. Tentamos fazer como de costume, tudo por conta própria, com mapa na mão e desvendando os lugares escolhidos. Depois de muitas pesquisas, decidimos fechar um roteiro com a agência Vamos a Marruecos e, sinceramente, foi a melhor decisão que tomamos. Vi que essa era a maneira mais segura e rápida.  Com certeza aproveitaríamos melhor o pouco tempo que tínhamos.

O Marrocos é um país bem diferente do nosso, com outras culturas e costumes. É um lugar famoso pela abordagem aos turistas, ou seja, constantemente aparecem pessoas e comerciantes querendo te vender algo ou te cobrando até por alguma informação que você peça na rua. Enfim, uns dos motivos pelo qual entramos em contato com algumas agências e fechamos com a que mais nos agradou.

Fechamos um roteiro de 7 dias (virou 6 devido ao voo que perdemos), com motorista e guia o tempo todo a nossa disposição.  Eles falam português muito bem, são muito simpáticos e prestativos e nos levaram a lugares maravilhosos. A propósito, todas as hospedagens foram escolhas deles.

Vamos a Marruecos - Medio Atlas

Sobre a agência Vamos a Marruecos:

Pagamos um valor fechado, por uma excursão privada, que incluía transporte, ida e volta ao aeroporto, todas as hospedagens, guia local em todos os lugares visitados, algumas refeições e todo o passeio pelo deserto.

Mais uma vez digo: foi a melhor escolha que fizemos. Foi tudo incrivelmente bom. Ficamos hospedados em lugares excelentes com os melhores atendimentos possíveis. O valor do pacote varia de acordo com suas preferências, pode até deixar claro se prefere ficar em hotéis mais sofisticados, quantos dias você vai querer ficar no total, etc.

Nosso guia se chamava Mustapha. Assim que entramos em contato com ele, nos mandou um roteiro de acordo com a quantidade de dias que iríamos ficar e falamos mais ou menos nossas preferências, como por exemplo, fazíamos questão de dormir no deserto e queríamos ficar hospedados em Riads dentro das medinas (parte mais antiga das cidades).

Para encontrar eles no TripAdvisor, é só clicar aqui. 

• Dia 1

Marraquexe: onde se hospedar

Infelizmente tivemos um dia a menos no nosso roteiro (perdemos o voo em Madri e só conseguimos embarcar no outro dia a noite) e não conseguimos explorar Marraquexe como queríamos.

Ficamos hospedados no Riad Bijoux. Explicando melhor o que é um Riad: são casas marroquinas que foram transformadas em locais para hospedar pessoas. Esse que ficamos é todo lindo, com detalhes apaixonantes e se falar que fomos recepcionados de uma forma bem alegre e acolhedora por Hassan, que toma conta do local. Como chegamos a noite, ele nos serviu um delicioso jantar com vinho. Ah, antes do jantar, tomamos um chá e comemos biscoitinhos, isso é bem comum quando você é recebido nos lugares (chá de boas vindas).

Não conseguimos conhecer a medina, como estava programado, mas acordamos cedo, andamos um pouco pelas ruas e fomos conhecer a famosa praça Djemaa El Fna, aquela que fica uma loucura de tanta gente e turista. Tem povo com cobras, macacos (nem gostei do que vi, eles deixam os bichos acorrentados e presos em caixas), barracas de comida, entre outras coisas. Fomos até a frente da mesquita, tiramos umas fotos e depois pegamos o carro para continuar a viagem em direção a Ouarzazate.

Este slideshow necessita de JavaScript.

• Dia 2:

Passando pelo Alto atlas: muita beleza e muita neve

Cada paisagem de tirar o fôlego! Montanhas com muita neve e um céu bem ensolarado pra completar a perfeição. Durante o percurso, paramos para tomar um café em um lugar com uma vista linda. Depois, mais uma parada no ponto mais alto da viagem, Tizi-N-Tichka com 2260m de altitude e estava ventado bastante. Pense num frio!

Também paramos pra conhecer uma cooperativa dos produtores de óleo de argan. Eles explicam todo o processo e lá vende vários produtos tanto para beleza quanto para comer. Compramos um mel com argan muito gostoso.

Vista do Alto Atlas

Alto Atlas Inverno

Alto Atlas Inverno

Óleo de Argan - Extração

Ait Benhaddou: patrimônio da UNESCO

O Ksar mais famoso, uma aldeia fortificada, onde as casas são feitas de barro. Atualmente, poucas famílias ainda moram na região, mas encontramos lojas e vários artigos marroquinos sendo vendidos.

Esse lugar serviu de cenário para algumas produções cinematográficas como: A Múmia, Gladiador, Alexandre, Príncipe da Pérsia, Indiana Jones, Game of Thrones entre outros.

Não deixe de visitar esse lugar e vá com um guia. Você vai caminhar por ruas estreitas e cheias de detalhes até chegar ao ponto mais alto, na fortaleza, onde tem uma vista belíssima.

Seguimos em direção a nossa próxima hospedagem, o Hotel Xaluca Dades. Grande, com uma decoração belíssima por toda parte. Jantamos com buffet livre e o café da manha também era no mesmo esquema.

Este slideshow necessita de JavaScript.

• Dia 3:

Parada nas Gargantas do Todra: Desfiladeiros que chegam até 300m de altura

São cânions de grande beleza, onde muita gente faz trilha e escalada nessa região. Fizemos apenas uma parada pra conhecer esse lugar que é realmente muito lindo. Tem bastante turistas e você encontra barraquinhas vendendo souvenirs.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Seguimos em direção a Merzouga:

Agora sim, chegamos na parte que me gerou mais ansiedade: conhecer o deserto do Saara e dormir no meio do nada. Antes de pegarmos os dromedários e seguirmos para o acampamento, decidimos fazer um passeio de quadriciclo pelas dunas e foi simplesmente uma experiência eletrizante (recomendo muito, pra quem curte aventura).

quadriciclo Saara
Passeio de quadriciclo no Saara

Uma noite no deserto do Saara: dormindo em acampamento

Pegamos os dromedários e seguimos viagem. No meio do caminho, uma parada estratégica para apreciar o belo por do sol (parecia uma pintura de tão linda que ficou a paisagem). Chegando no acampamento, fomos recebidos com chá de boas vindas e biscoitinhos. Depois, encaminhados a nossa tenda. Simplesmente me surpreendi com a estrutura. Como podem observar na foto, parecia um quarto de hotel, muito organizado e limpo. O banheiro tem todo estruturado, com pia, vaso sanitário e até banho quente.

Fomos jantar numa tenda específica e estava tudo uma delícia. Mustapha (nosso guia), não estava presente no acampamento, mas nos mandou um vinho marroquino de presente e a noite foi ótima.

Depois da janta, fomos pro meio do acampamento onde tinha uma fogueira. A noite foi bem animada com muita música, batuque e dança. Todos os funcionários foram maravilhosos, simpáticos e atenciosos. Havia um grupo de italianas, além de nós. Ainda fomos presenteados com um céu sem nuvem e muito estrelado.

A dormida: confesso que não dormi direito, mas o fator foi o frio. Sim, fez um frio fora do normal de madrugada e não tinham mantas nem roupas que dessem jeito. A cama era confortável, tinham vários lençóis e mantas.

Acordamos cedinho pra apreciar o nascer do sol (graças a Deus a temperatura já estava melhor). Tomamos um café e nos preparamos pra sair do deserto e encontrar nosso guia.

Obs.: Existem vários tipos de acampamentos, dos mais rústicos aos quase comparados a um hotel 5 estrelas. Veja bem sua preferência. Nesse que ficamos, achei ideal: confortável, tinha uma estrutura ótima, energia elétrica, funcionários excelentes e levaram todas as nossas malas no carro deles (tem alguns que você leva apenas uma mochila com poucas coisas). Fomos e voltamos de dromedário, mas tem a opção de ir com eles de 4×4 (aviso logo que andar de dromedário não é muito confortável, porém queríamos vivenciar tudo intensamente).

Este slideshow necessita de JavaScript.

• Dia 4:

Rumo ao norte do Marrocos

atravessamos o palmeiral de Tafilalet até chegar ao vale de Ziz, onde paramos pra apreciar uma bela vista.

A viagem de carro nos proporcionou cada cenário! Do nada, saímos do deserto e em poucas horas nos deparamos com neve. Tudo simplesmente apaixonante. Dessa vez estávamos passando pelo médio Atlas (midelt).

Paramos em uma região que haviam uns macacos no meio da neve. Eles ficam loucos atrás de comida. E lá mesmo tem gente vendendo amendoim, pra quem quiser alimentá-los.

Seguimos viagem até parar numa cidade muito linda, chamada Ifrane, a Suíça Marroquina. Estava cena de filme, toda coberta por neve. Foi apenas uma parada, mas achei tão fofa a cidade, que queria ter ficado hospedada pelo menos um dia (acho que preciso voltar ao Marrocos).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fes: A capital cutural do Marrocos

Nos hospedamos Riad Dar Tafilalet. Já de cara amei o lugar que tem uma decoração linda. Ahmed, o cara que toma conta do Riad, é simplesmente uma figura que está sempre de bom humor e divertindo os hóspedes. Fomos recepcionados com chá de boas vindas e jantamos ali mesmo (estava tudo gostoso).

Riad dar Tafilalet
Riad dar Tafilalet

• Dia 5:

Conhecendo a medina de Fes, fábrica de cerâmica, tanques de tingir couro.

Mustapha nos apresentou a um guia local, que também falava português. Primeiro, fomos conhecer a fachada do palácio real e saber mais sobre suas histórias.

Seguimos para um mirante, que mostra uma vista panorâmica da cidade. Muito linda por sinal.

Depois, fomos conhecer o lugar que produz as famosas cerâmicas. Vimos todas as etapas e confesso que fiquei impressionada com o trabalho e a delicadeza de tudo. Não deu pra sair sem levar nada, não é? Muita coisa linda e você fica até na dúvida nas escolhas.

Hora de percorrer as várias ruas da medina. Lugar fácil de se perder, por isso, sem dúvidas, vá com um guia. As ruas são estreitas e não passa nenhum transporte, apenas burrinhos transportando cargas e mesmo assim, tem lugares que nem eles podem passar.

É um mundo dentro da medina. Você encontra de tudo: moradias, todo tipo comércio, hospedagem (como o nosso Riad), restaurantes, mesquitas, a universidade mais antiga do mundo…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fizemos uma parada especial nos tanques de tingimento de couro. Aquele cenário da novela o clone (que é uma novela bem famosa e querida pelo povo marrooquino). Você entra por uma loja que vende vários artigos de couro e lá tem uma varanda que dá para tanques, onde tem várias pessoas trabalhando e o cheiro é bem forte, logo na entrada lhe dão um galhinho de hortelã pra ficar cheirando.

Outra parada foi numa loja que vendia artigos de prata com um preço bem em conta. Não resistimos e compramos até um bule lindinho e outras coisinhas.

Almoçamos em um restaurante dentro da medina e seguimos andando pelos corredores até chegarmos no nosso Riad. Foi um passeio muito bom e as explicações do guia foram excelentes.

A tarde, fomos com Mustapha conhecer a parte nova, mais moderna da cidade. Uma cidade grande como qualquer outra, com casas, prédio, shopping, restaurantes, avenidas largas…

Este slideshow necessita de JavaScript.

• Dia 6:

Ultimo dia nesse país africano chamado Marrocos

Passamos a manha no Riad. Arriscamos até uma andada, sem guia,  pelas ruas da medina, mas não fomos muito longe com medo de ficar perdidos.

A tarde, nos deixaram no aeroporto e pegamos um voo com destino a Sevilla.

riad dar tafilalet
Riad dar Tafilalet – Terraço

Dicas:

Culinária: não deixe de experimentar o couscous marroquino e tajines, foram os pratos que mais gostei. Os docinhos deles são bem gostosinhos, o chá é fantástico (amo chá) e o suco de laranja é maravilhoso.

A moeda é o dirham marroquino. Levamos euro (1 euro valia uns 11 dirham). Pode trocar no aeroporto ou pela cidade.

Não é permitido entrar em nenhuma mesquita, só quem segue o islamismo. No Marrocos, apenas em Casa Blanca é permitido entrar em uma mesquita, a maior do país.

Quando for comprar algo, negocie bastante os preços (sempre consegue um desconto bom).

Dá uma olhada no roteiro do S2tation, tem várias dicas legais com uma visão diferente da nossa!

Impressões:

Achei o povo marroquino muito simpático. Inclusive me impressionei com a quantidade de gente que desenrola português e muitos falam espanhol, ou seja, a comunicação por lá, não achei um problema.

Você pode escolher se hospedar dentro da medina e sentir mais como é a cultura local, ou há hotéis muito bons em todas as cidades.

Em relação a segurança, achei tudo muito tranquilo. Porém, quando percebem que é turista, muitos mercadores ficam atrás de você, de forma bem insistente, tentando vender algo. Como estávamos com guia, sempre, isso não ocorreu com a gente.

Também não me senti “estranha” por ser mulher. Já tinha ouvido relatos que não havia muito respeito, mas acho que pelo fato de estar com guia o tempo todo não fomos a nenhum lugar que me fez sentir mal.

As medinas são muito grandes e confusas pra quem não conhece. Então, a melhor forma é ir com guia. Vi um povo perdido, durante o passeio e é difícil se achar.

A gastronomia: gostei de tudo que comi, porém só comemos comida marroquina a viagem toda e no final estava sentindo falta do tempero brasileiro kkk.

Então, foi demais conhecer esse país tão exótico com gente simpática. Passamos muito tempo viajando de carro, com nosso guia e foi simplesmente incrível. Passar por tantos lugares diferentes e lindos, com paisagens que pareciam cenas de filme, dava vontade de ficar tirando foto o tempo inteiro. Não quer ter dor de cabeça, nem perder tempo e conhecer o máximo de detalhes possíveis? Feche um roteiro personalizado com uma agência. Indico a que fomos sem medo de errar e chegamos nela, pela excelente nota no trip advisor e por tantos brasileiros já terem fechado com ela. Deixo aqui meu agradecimento especial a Mustapha, que sempre vinha falando com a gente desde o Brasil, nos recepcionou da melhor maneira possível, é um cara muito de bem com a vida, alto astral e ainda virou nosso amigo marroquino.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

12 thoughts on “6 dias no Marrocos

  1. acho que vocês fizeram a melhor opção em contratar uma empresa com guia, concordo com isso em viagens mais “exóticas”. Amei saber que a comunicação não foi problema, e que vocês curtiram um destino mais distante em tão pouco tempo! Fiz conexão em Casablanca e me arrependo de não ter feito stopover! adorei o post

    1. Author
      Mirela Ferraz Reply

      Sim, pesquisamos bastante pra saber qual a melhor forma de conhecer o país e vi que com guia é a maneira mais segura. O país é bem diferente do que estamos acostumados, cultura bem interessante e tem lugares que é bem difícil andar se você não conhece a região. Da próxima vez fique um tempinho por lá, tem muita coisa interessante pra conhecer =)

  2. Maiara Barbosa Reply

    Marrocos é um destino que me encanta muito e tenho vontade de conhecer o quanto antes, ainda mais depois desse relato e dessas fotos!
    Ouço muita gente dizer que conheceu o pais em um final de semana, ou três dias. Você ficou seis e acha que é possível isso ou depois a gente volta chorando por não ter conseguido fazer nada? rs

    1. Author
      Mirela Ferraz Reply

      Oiii. Olha, eu achei 6 dias pouco, pois fiquei morrendo de vontade de conhecer mais. O Marrocos tem muitas cidades interessantes e diferentes pra se conhecer. Um final de semana seria legal só se ficasse em uma cidade, mas conhecer vários lugares, acho que não seria tão interessante =)

  3. Ola,
    Viajamos mais de duas semanas pelo Marrocos e ainda não conseguimos conhecer o Atlas e o norte do pais. Viajarem alguma vez de avião ? De Marrakech ate Merzouga, nossa viagem durou 2 dias, dirigindo por mais de 8 horas por dia. Porem, parando em alguns pontos legais no meio do caminho. Quanto tempo passaram dirigindo ? Qual parte preferiram ? Pretendo voltar um dia, e viver novamente essa experiência de dormir no deserto com meus filhinhos. Uma das nossas melhores experiencias ! Tambem queria ver o Atlas. Demorou de Marrakech ate la ?

  4. Silvia Carvalho Reply

    Nossa! Fantástico o seu post! O Marrocos parece realmente uma terra incrível! Ler as suas dicas me fez ter vontade de conhecer ainda mais esse país! Adorei e parabéns!

  5. Só posso dizer uma coisa desse roteiro: MARAVILHOSO! Tirou várias dúvidas minhas e consegui definir o que quero. Estava pensando em ir para Europa no próximo ano e fazer um stopover no Marrocos, mas percebi que um stopover é muito pouco tempo para tanta beleza. Agora vou fazer uma trip exclusiva para conhecer o Marrocos. Muito obrigada pelas informações, foram de grande valia! Abraços.

  6. Erik Diniz Reply

    Vocês fizeram quase o mesmo roteiro que eu organizei em 2016, mas tive que cancelar de última hora (eu só não iria passar em Ifrane). Ler seu post me deixou ainda mais desesperado para poder cumprir o roteiro frustrado. Mas fiquei com a pulga atrás da orelha agora, pois faria tudo por conta própria e foram tantos elogios a esta agência no relato que estou agora me perguntando se não é melhor mesmo! rsrsrs! Outra coisa: não sabia que dava para ir ao acampamento no deserto de 4×4. Eu não queria ir de jeito nenhum de dromedário, mas achava que não havia outra opção. Dica importantíssima para mim!! Valeu demais!!

  7. Liany A Garves Reply

    Muito legal seu roteiro. Morro de vontade de conhecer o Marrocos. Geralmente eu também prefiro fazer minhas viagens por conta, mas realmente alguns lugares vale a pena dar uma pesquisada e analisar os prós e contras né. Ainda mais que poderia sair até mais caro pra vocês irem pro dserto se já não tivessem tudo organizado com a agência. Gostei da recomendação e quem sabe dou uma olhada neles numa próxima viagem!!

  8. Sthefania Peixoto Reply

    Que roteiro maravilhoso! Precisa ser muito sem cultura para perguntar porque você escolheu o Marrocos, né? É um país que figura na minha listinha dos sonhos faz tempo, por conta dos cenários mesmo, que acho lindos. Bom saber que é complicado fazer por conta própria e mais recomendado contratar uma agência. Como é de preços? Caro?

  9. Gosto de post assim, bem detalhado e com foros lindas!! Fiqueicom vontade de conhecer Marrocos, amei as dicas!!

  10. Livia Melo Reply

    Incrível essa viagem! Você achou 6 dias suficientes? Teve alguma cidade que conheceu no caminho e queria ter incluído no roteiro? Obrigada!!

Post Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Search