Croácia em 7 dias

Croácia em 7 dias

 

Croácia: um país cheio de destinos interessantes

O que falar da Croácia? País que está, cada vez mais, em evidência, e não é pra menos. As impressões, foram as melhores possíveis: cidades organizadas, povo educado, muita beleza natural, estradas ótimas, comida boa, enfim, muitos pontos positivos! Ano passado, quase que entrou no nosso roteiro da viagem de Agosto/2016. Ainda bem que deixamos pra esse ano, pois conseguimos mais tempo pra explorar mais coisas.

Zagreb

Chegamos em Zagreb pra dormir apenas uma noite. Confesso que foi a cidade que menos gostei. Passamos um dia passeando por lá e não achei nada tããão interessante, comparada aos outros lugares que visitamos nessa viagem. Mas isso não quer dizer que achei ruim. É legal pra passear, achei segura, tranquila e organizada.

Turistando em Zagreb, o que conhecer:

Começamos explorando a cidade alta (Gornji Grad) e fizemos tudo a pé.

Iniciamos pela praça principal, a TRG Josipa Jelačića e seguimos até a Catedral de Zagreb (Catedral da Assusnção da sagrada Virgem Maria). Logo perto, tem o mercado Dolac, bem agitado, com muitas frutas, comidas, flores, artesanato, etc. Andamos pela Ilica Street e subimos pelo park Strossmayer Promenade (tem a opção de ir de funicular), onde tem umas barraquinhas de comida, é bem arborizado e tem uma vista linda da cidade. Mais a frente, tem a torre de Lotrscak que há opção de subir até o topo (não subimos porque do parque já amamos a vista). Já vou deixar avisado, pois levamos um susto com o barulho: sempre ao meio dia, o canhão que fica na torre, “dispara”, pra informar que é 12h.

Mais um pouco de andada e finalmente chegamos a um dos pontos turísticos mais famosos: a Igreja de São Marcos, aquela com o telhado bem característico. Por perto tem alguns museus e o Parlamento. Seguindo o caminho, tem o Portão de Pedra (Kamenita Vrata), onde fizeram uma capela e as pessoas vão fazer suas orações. Esse portão é um dos acessos da cidade alta para a cidade baixa.

Fomos almoçar na cidade baixa (Donji Grad), parte mais moderna, e logo depois, conhecemos rapidinho as atrações da “ferradura verde”, como é chamada essa região, por causa do formato em “U”. Fica tudo por perto: Nikola Šubić Zrinski Square, Park Josipa Jurja Strossmayera,  Supremo tribunal,  museu arqueológico,  teatro nacional, King Tomislav Square, pavilhão de Arte,  estação ferroviária, starcevic square, hotel esplanada, jardim botânico, marulic square, marshal tito square.

• Dicas de Zagreb:

– Da pra conhecer tudo isso em um dia e andando.

– Nos hospedamos no The Dots Hostel, simples, legal e bem localizado

– Quem tem interesse em chip de celular, até porque é importante pra usar o gps, compramos um com o preço muito bom, da Tele2 (a loja fica bem em frente a TRG Josipa Jelačića). Usamos por toda a viagem pela Croácia e funcionou muito bem.

– Tomamos um sorvete gostoso na Vincek Slasticarnica

– Pegamos o carro, no fim da tarde, na locadora sixt e partimos pra Plitvice. Rodamos com ele por toda nossa viagem pela croácia e devolvemos assim que chegamos em Dubrovnik.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Plitvice

 Chegamos antes do anoitecer. A viagem durou cerca de 2 horas. Nos hospedamos em Pension Mrzlin Grad e preciso comentar sobre esse lugar: fiquei apaixonada por tudo. Fomos muito bem recebidos e o lugar é simples, mas muito aconchegante. O café da manhã, não estava incluso, contudo, é maravilhoso, vale muito a pena, todos os produtos são da própria criação deles. Além disso tudo, me encantei com dois cachorros que moram lá.

Chegue cedo em Plitvice

Pegamos o carro após o café da manhã e chegamos em 15 minutos a entrada das atrações de Plitvice. O parque abre as 7h da manha.

Compramos o ingresso, no local, por 150kn, cada pessoa. Você pode escolher qual rota fazer la dentro e escolhemos a C. Deu pra conhecer muita coisa, pegamos barco e ônibus (tudo incluso) pra completar o percurso. Lembre de ir com um calçado confortável, pois anda bastante e mesmo no verão, leve um casaco. Ficamos umas 5 hora curtindo tudo. Lá, tem estrutura de banheiros e barracas com comida.

Vale ressaltar a beleza desse lugar, que pessoalmente é muito mais hipnotizante que por foto. Cada cachoeira linda, lagos com cores diferentes, muitos peixes, patos, muito verde. Ainda alugamos um barquinho e demos uma voltinha legal pelo lago (perto de uma das saídas dos barcos grandes).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Zadar

Saimos em direção a Zadar por volta das 16h. A viagem durou 1:30h. A cidade é pequena e uma graça. Ficamos hospedados no Apartaments Donat, gostei muito da localização.

O que conhecer em Zadar:

O cento histórico, o Forum Romano, a igreja de São Donato, o famoso órgão do mar (sea organ) e o monumento saudação ao sol (greeting to the sun). Ande pela orla, no calçadão Riva, no fim da tarde, lugar bem agradável com bares, restaurantes, uma feirinha de artesanato perto, e no fim, aprecie um lindo por do sol próximo do greeting to the sun.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trogir

Foi uma grata surpresa conhecer essa cidade, uma das mais antigas da croácia. A viagem de Zadar até aqui, durou 1:40h. Paramos lá pra almoçar e aproveitamos pra conhecer um pouquinho. Por sinal, foi o lugar que comemos o melhor prato de toda a viagem, um risoto negro no restaurante chamado Don Dino e não foi caro.

Trogir, vale a pena conhecer:

A cidade é bem aquele estilo medieval. As ruas são estreitas e bem charmosas, vá andando por elas e descobrindo novas belezas. Não deixe de ver a Fortaleza Kamerlengo, o convento São Nicolau, a prefeitura, a torre do relógio, a catedral de Sao Lourenço.

Ainda tivemos um tempinho pra curtir uma praia. Fomos até “Copacabana” como é conhecida a Okrug Gornji beach. Alugamos esteiras e guarda sol e ficamos relaxando.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Split

 Chegamos no fim da tarde, e colocamos essa cidade no roteiro, apenas pra dormir e ir no outro dia cedo pra Hvar. Então, não “turistamos” por lá. Nos hospedamos no BVB room Split, a localização foi ótima, pois ficava bem próximo do porto que saia o ferry.

Compramos pela internet, as passagens pra Hvar, pelo site da Jadrolinija. O ferry custou 412kn cada trecho por casal. Saiu esse preço porque atravessamos de carro e só ele custava 318kn. Saimos no primeiro horário, as 8:30h e chegamos as 10:30h em Hvar.

Hvar

Chegamos nesse paraíso ainda pela manhã e antes de ir pra Hvar City, andamos um pouco por Stari Grad, a cidade antiga (uma gracinha o lugar).

Ficamos hospedados no Apartaments Irena, indico muito essa acomodação. A dona é uma simpatia e super prestativa. Além disso, era quase colada com a praia mais famosa e bonita da ilha, Pokonji Dol, e ficava uns 15min do centro, caminhando.

A praia mais linda de Hvar: Pokonji Dol

De cara, ja fomos curtir uma prainha. Pokonji Dol é linda, tem uma parte bem extensa de pedra grande e outra parte mais próxima a bares, com mais estrutura e que da pra colocar guarda sol e esteira (mas não é de areia, é tudo de cascalho, por isso é bom usar o sapatinho).

Fortica Spanjola: uma vista linda de Hvar

A tarde, subimos até o Fortica Spanjola. É fácil chegar, basta entrar pelo portão principal da cidade antiga e tem placas sinalizando. Pagamos 25kn pra entrar. O forte foi construído no século XVI, é bem bonito e conservado e interessante passear pelo seu interior, alem do que, tem a vista mais bonita da cidade. Dentro do forte tem um café bem bonitinho, pra quem gosta de um cafezinho ou quer tomar uns bons drinks.

Depois fomos conhecer o famoso bar Hula Hula. O clima lá é bem animado e não é nada barato, mas vale a pena conhecer.

Alugar barco é uma experiência das boas

No dia seguinte, alugamos um barco, que é bem comum por lá (e não precisa ter experiência, nem licença, na hora eles explicam tudo e não é difícil). Tem várias empresas que alugam pela orla. O aluguel pelo dia, custou 400kn, com combustível incluso e eles emprestam cooler pra você levar suas bebidas (um dia antes fomos no supermercado e compramos comidas e bebidas). Que dia maravilhoso. Conhecemos praias da famosa Pakleni Islands, que conta com mais de 20 ilhas pequenas e fica bem próximo de Hvar. Mesmo que não queira alugar um barco, não deixe de fazer um passeio pra conhecer essas praias maravilhosas. Passamos por Carpe Diem Beach (que tem estrutura de bar e é mais badalada), Palmizana (tem restaurantes), Vlaka, Jerolim (praia de nudismo, mas pode frequenta-la de roupa).

• Dicas em Hvar:

– Comemos muito bem no restaurante Dalmatino.

– Não deixe de comprar o sapatinho pra ir para as praias. Sério! Além de muitas pedras também tem muitos ouriços em vários pontos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dubrovnik

Pegamos o ferry de Hvar até Split (2h de viagem) e seguimos a viagem de carro, até Dubrovnik (mais 3h de viagem). Uma dica valiosa é não ficar de carro em Dublovnik, já devolvemos na locadora, assim que chegamos na cidade. E pra quem vem do aeroporto, ou vai pegar voo lá, tem ônibus passando por várias regiões (pegamos ele na volta).

Almoçando na Bósnia Herzegovina

Durante o percurso, passamos em Neum, cidade da Bósnia e almoçamos por lá num restaurante bom e barato, chamado Laguna. Tem umas paisagens bem bonitas nessa região.

Chegamos a nossa última parada da Croácia. Decidimos nos hospedar dentro da cidade murada (Old Town) e não me arrependi, muito pelo contrário. Apesar de ter sido um pouco mais caro, valeu muito a pena, conseguimos economizar tempo, o studio era bem legal e estava perto de tudo. O nome é City Break dubrovnik apartaments. Aconselho a reservar qualquer acomodação com antecedência, as coisas lá são mais caras.

Caminhar pela old town é imperdível, e fizemos isso no dia que chegamos, conhecendo as ruas tão lindas, cada cantinho medieval. A rua principal é chamada de Placa (ou Stradun). O portão principal (Pile gate), a igreja de São Savio, o mosteiro franciscano, são pontos bem conhecidos e lindos. Não deixe de ir até o porto, a área é bem bonita e se você andar seguindo o muro, pela direita, até o fim, tem uma parte que as pessoas ficam pulando no mar, próximo ao Fort of St. John. Outro lugar lindo, é a fortaleza de Lovrijenac, fora da cidade murada, você sai pelo portão principal e logo vai ver muitas pessoas vendendo passeio, por ali tem uma passagem que dá nessa região, que foi palco pra cenas de GOT.

Pegando o cable car até o monte SRD

No dia seguinte, decidimos ir logo pela manha, pegar o teleférico (cable car – custou 130kn ida e volta por pessoa) e ir apreciar uma vista espetacular lá do alto do monte SRD. Pra quem não quiser subir de teleférico, tem como ir caminhando, mas é uma andadinha boa. Lá em cima tem um restaurante, pra quem interessar. Sério, da pra ficar várias horas observando a vista da cidade.

Próxima parada: fazer o passeio pelas muralhas (a entrada custa 150kn por pessoa). O percurso total tem 2km e é muita beleza, cada vista, cada cenário, tudo em voltar da cidade antiga.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mala Buza: um bar no meio das pedras

Depois de tanto andar e suar, com o sol tão intenso, hora de cair no mar. Existem dois bares legais, com entradas bem parecidas, um portão no meio das pedras. Não tem placa avisado a entrada de nenhum deles. Durante o passeio nas muralhas, você consegue vê-los de cima. Mas o melhor de tudo é a praia que podemos curtir e nem é preciso consumir nada pra aproveitar o mergulho. Entramos nos dois, porém achei a área do Bard Mala Buza melhor e ficamos um bom tempo por lá. O nome do outro é Beach bar Buza.

No fim da tarde, fizemos um passeio de caiaque: saímos do fort Lovrijenac, passamos pela ilha Lokrum e curtimos uma parada em um local que também fez parte das gravações de game of thrones, Betina Cave (Betina špilja). Ao retornar do passeio, cada uma ainda ganhou uma garrafinha de vinho croata.

E finalizamos nossa passagem pela Croácia. Que lugar!! Voltaria com certeza, até porque quero muito conhecer outras cidades.

• Dicas de Dubrovnik:

– Tem um passeio até a ilha Lokrum que deve ser bem legal. Não fizemos por falta de tempo. Mas lá tem algumas coisas de GOT, inclusive um trono de ferro. Tambem é legal pra quem quer curtir praia e mergulhar.

– Prepare-se pra subir e descer muitas escadas. Inclusive, se ficar hospedado na cidade antiga, provavelmente você vai ficar no meio de uma escadaria.

– Quem gosta de pizza, gostamos muito de comer no Mea Culpa e no Domenica.

Para quem quer aproveitar praias incríveis na Europa, vale a pena também dá uma olhada nos nossos posts sobre algumas ilhas gregas, como: Zakynthos e Kefalonia.

 

 

 

 

 

 

 

 

24 thoughts on “Croácia em 7 dias